Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Saliva, fezes: quais secreções podem transmitir coronavírus?

    O contato dessas secreções com as mucosas dos olhos, nariz e boca levam à infecção do paciente

    A saliva é um dos meios de contaminação | Foto: Divulgação

    Estudos sobre o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão sendo realizados a todo instante ao redor do mundo. Além de buscarem a cura da doença, cientistas procuram entender melhor a ação e o desenvolvimento do vírus, assim como seus diferentes meios de transmissão.

    Até o momento, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que as principais formas de contaminação ocorrem através da emissão de gotículas respiratórias pela boca e nariz, fazendo com que o contágio aconteça a partir dos seguintes fatores:

    Contato físico próximo

    Tocar a região facial com as mãos contaminadas

    Espirros e tosse

    Se alimentar com as mãos contaminadas

    O médico infectologista Matheus Todt explica que essas secreções (como saliva, muco e catarro) podem ser ejetadas até 2 metros de distância, contaminando mãos, utensílios e superfícies.

    "O contato dessas secreções com as mucosas dos olhos, nariz e boca levam à infecção do paciente. Apesar de já terem sido isoladas partículas virais em outras secreções, como fezes, não há comprovação que sejam infectantes", acrescenta o especialista.

    Outros meios de transmissão

    Recentemente, um estudo publicado na Academia Americana de Oftalmologia, dos Estados Unidos, relatou que as chances de contaminação do novo coronavírus através das lágrimas é baixa. Cientistas analisaram 17 pacientes que estavam com a COVID-19, mas nenhum indício relevante do vírus foi encontrado nas secreções oculares.

    Fezes

    Já uma análise divulgada no site JAMA demonstrou que existe um potencial de infecção pela COVID-19 através das fezes. Os cientistas analisaram o excremento de pacientes infectados que apresentaram sintomas como náusea e diarreia, onde concluíram que há, sim, traços do novo coronavírus nos excrementos.

    Ainda não é possível concluir se a carga viral encontrada nas fezes é o suficiente para causar a contaminação de outras pessoas. De qualquer forma, especialistas afirmam que medidas de prevenção e higiene devem ser tomadas ao dividir o banheiro com pacientes infectados pelo novo coronavírus, como limpar as superfícies com álcool 70% ou água e sabão.

    Sangue

    De acordo com a Junta Britânica de Transfusão de Sangue, não há evidências de que o coronavírus possa ser transmitido através do sangue de uma pessoa contaminada. Logo, as medidas tomadas são apenas preventivas, permitindo que infectados pela COVID-19 no Brasil façam doações de sangue apenas 90 dias após apresentarem melhora nos sintomas.

    Coronavirus