Fonte: OpenWeather

    Senado


    Precatórios: relatório alterado será lido nesta quarta-feira (24)

    Líder do Governo confirmou a leitura do texto. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, quer levar a proposta ao plenário até o fim do mês

     

     

    | Foto: Divulgação

    Brasília - O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) confirmou, nesta terça-feira (23), a leitura do relatório da PEC dos Precatórios, na manhã desta quarta-feira (24), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O texto deverá ter alterações, com Auxílio Brasil de R$ 400 permanente, comissão mista de fiscalização dos precatórios e previsão de que o espaço fiscal aberto pela PEC seja vinculado ao programa social e despesas com saúde, previdência e assistência social.

    Mais cedo, havia uma expectativa de a sessão do colegiado ser adiada, mas, no início da noite desta terça-feira, o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM-AP), agendou a reunião, com a PEC dos Precatórios como primeiro item da pauta. “Esse relatório deverá expressar já o retorno das lideranças partidárias que apresentei”, disse Bezerra.

    “Após a leitura do relatório, normalmente existe a possibilidade do pedido de vista (mais tempo para análise). Meu desejo é que a vista seja concedida por 24h para votarmos na manhã da quinta-feira. Mas pode ser que seja concedida por um período maior. Se for, [o texto] será [votado na CCJ] na manhã do dia 30 e levado ao plenário na tarde do dia 30”, acrescentou.

    Bezerra, que é líder do Governo no Senado, tem se reunido com diversos colegas e deve apresentado alterações ao texto da proposta que foi aprovada na Câmara dos Deputados. Ao menos 10 senadores membros do colegiado já se manifestaram contra a proposta.

    A bancada do PSD, a segunda maior da Casa, com 12 senadores, anunciou, nesta quarta-feira, que pode pedir vista, porque alega precisar de esclarecimentos sobre vários pontos. Bezerra disse que vai se reunir com a bancada na tarde desta quarta-feira. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende aprovar a PEC no plenário até o fim do mês.

    O relator destacou que tem mantido conversas com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e com o relator da proposta na Câmara, Hugo Motta (Republicanos-PB), para agilizar a deliberação.

    “Tão logo o Senado delibere a Câmara possa ter a possibilidade para redeliberar essa matéria e ainda em tempo hábil para que o Auxílio Brasil possa ser pago antes do natal para 17 milhões de família brasileiras, que são mais pobres e estão esperando essa ajuda”, declarou o relator.

    *Com informações do Metrópoles 

    Leia mais:

    Senado faz debate sobre PEC dos Precatórios nesta terça-feira (22)

    TSE abre teste de urnas para hackers: “Buscamos falhas”, diz Barroso

    Moraes vai contra CPI da Covid-19e nega quebra de sigilo de Bolsonaro